quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

Xô Listas 2006

Não vejo a hora de acabar o ano para não ter mais que ler listas de melhores de 2006.

Chega de retrospectiva, povo, chega!

Passando o dia no party shuffle, fui checar a música mais ouvida no ITunes. Tinha certeza que seria "Young Folks", ou "El Desierto" da Lhasa de Sela, que bomba em casa durante fases muy dramáticas. Mas não foi. Bati o recorde, segundo um programinha aqui, ouvindo sem parar o cd do TV On The Radio.

Então, já que eu não tenho paciência para fazer listas, essa fica sendo A música do ano para moi.

"Wolf Like Me":




* Post Anterior: Melhor Lista de "Melhores de 2006"

Mendigo Virtual

Nosso senso de humor é impressionante...

conversando sobre o Second Life com os amigos um dia, imaginamos a bagunça que vai ser a comunidade brasileira lá dentro.

já imaginamos seqüestros, lavagem de dinheiro, flanelinhas, ônibus incendiados, etc.

E hoje, lendo o G1, fiquei sabendo que já existe mendigo no Brasilzão do Second Life!!!

Ele é negro, tem barriga d'água, está descalço e vestindo só um bermudão, tem (não)cabelo estilo Ronaldo Fenômeno, segura uma garrafa de cachaça e pede esmola.

Não dá para copiar a foto, então vocês vão ter que seguir o link acima.

...

quarta-feira, 27 de dezembro de 2006

Coisas que só acontecem comigo - Parte III

** Mesmo com tanta falcatrua rolando solta por aí, a Receita Federal resolveu pegar no meu pé. Eu devo ter cara de sonegadora nervosa. Eu! Pensa: eu. Esperei pacientemente pela minha aguardada restituição do Imposto de Renda. Último lote e nada.

** Caí na malha-fina. Acho legal passar por essas experiências. Produtivo, néam. Faz você cair na real que tem 31 anos de idade, que trabalha (até que) bastante, paga (muitas) contas, paga (muito) imposto, etc. Eu me sinto feito gente grande. Beeem grande. Grande e verde e bufante, querendo sair pisoteando carros por aí. Mas diplomacia é o meu forte.

** E agora vem a outra parte da história.

-------------------------------------------------------------------------------------

** Eu vivo em um mundo gergelim. Saí de uma cidade-ovo para freqüentar um grupo de amigos do tamanho de um arroz. Uma teia absurda que me liga a todo e qualquer habitante dessa cidade. Faça um teste. Eu devo estar a dois degraus de você. No máximo. É tão sufocante que às vezes parece até roteiro de Manoel Carlos. Você pode ser minha irmã gêmea por exemplo, e nem sabe. Vamos descobrir isso por acaso, claro.

** Ao ligar para um "funcionário da Receita" questionando a ausência do meu nome naquele belo último lote de sexta-feira:

Jack Bauer das Finanças: "Humm... Ana Carolina... sei... sei... Por acaso irmã de uma Ana Paula?"

Voz humilde-disfarça-pânico-e-arrogância: "...si-sim..."

(nesse momento já imaginando a família toda presa. Minha irmã também, coitada????)

Jak Bauer ofegante: "Que coincidência, você estudou com o meu irmão no ginásio!!!"


-------------------------------------------------------------------------------------
** Sem comentários. SEM COMENTÁRIOS. O Jack Bauer da Receita tem acesso irrestrito aos meus dados bancários E à minha memória pré-adolescente. E eu não tenho em quem votar, mas já que tem que votar em alguém para sair da casa, eu voto nele.

ps: eu revi "Truman Show" no final de semana natalino e começo a ficar seriamente desconfiada do mundo.

Coisas que só acontecem comigo I
Coisas que só acontecem comigo II

LostMania

* Toda vez que minha irmã vê o Thom Yorke, ela acha que é o Henry Gale. E vice-versa. Azar de quem?



* O Lemp me mandou uma paródia ótima do LOST esses dias. A idéia é muito boa: um sobrevivente do Oceanic Flight finalmente consegue sair da ilha e dá uma entrevista à TV. Segundo ele, a turma do Jack não deixa ilha porque... não quer!. É muito engraçado o gordinho tentando ser ouvido, berrando as coordenadas e mostrando como seria fácil sair de lá se...



thanx, Lemp. Adorei. Segredo desvendado: bando de folgados. =)

Medo!!!

* Nós temos nosso Michael Jackson:



* Pulem toda a papagaiada da banda bossa-chata, e todas as piadas sem graça do Gordo, e no minuto 05:33 o terror começa.

* pena que só tem um trecho. Quando o vídeo estiver completo eu coloco de novo.

terça-feira, 19 de dezembro de 2006

Comidinhas

O Lucas Of, companheiro de guerra no Sampaist, entrevistou a a Alê Blanco hoje.

Esse pão de ervas aí da foto foi ela quem fez.

Não consegui um link direto para o post, mas se você entrar no blog "Comidinhas" que ela atualiza quase todos os dias, vai encontrar a receita secreta. Além disso, dá para ver o trabalho que dá para preparar um "simples" brunch em casa para os amigos. É uma dedicação sem tamanho e que só o amor explica.

Tem tanta receita gostosa no site que me deu até vontade de fazer uma promessa conflitante para 2007:

** emagrecer os 6 kilos que perdi comendo croissant na chapa pós-balada e almoçando no Ughe's todos os dias

+

** perder a preguiça de cozinhar. Sei que é mais fácil eu virar uma jogadora de basquete que me colocar na cozinha, mas quem sabe eu não dou uma animada?

-----

E eu escolhi essa foto para o post porque tem um detalhe nela que gostei muito: uma latinha de tomates frescos vazia com rosinhas coloridas dentro.

tão simples! adoro esses pequenos detalhes.
-----

Clique aqui para ver mais fotos e "roubar" mais receitas.

Clique aqui para ler a entrevista.

ps: a foto do pão foi tirada por ela e está lá no blog.

Natal Natureba



Eu queria saber quanto o coitado aí ganhou para se vestir de samambaia nessa propaganda ridícula.

Se fosse só para ficar escondido no site do Shopping, tudo bem, mas o menino saiu fantasiado em todos os jornais de hoje.

O mais legal é que o figurino dele está super apropriado. Camisa social e tal... E nem dá para perceber que mentiram para ele que a foto seria com um fundo neutro, tipo a praça de alimentação. Ele topou.
Daí, vai um cara lá bem ruim no Photoshop e faz essa floresta toda ao redor dele... Eu pediria indenização, sem dúvida.

O tipo de propaganda (estou focada em marketing hoje, neam) que levaria QUALQUER candidato do Aprendiz a um "está demitido!".

Ah... o slogan: "A gente não tira a Natureza da cabeça nem no Natal!"

Percebe-se.

Telemarketing Bizarro

Gente! Aquela vendedora, a Jussara, que usa um tipo de telemarketing muito estranho, voltou a me ligar!

"Oi Anammm. E aíammm. Tudo? Que tudoammm!"

dessa vez ela queria me dizer que a "blusa preta" que eu comprei é a "mais procurada da loja".

-- isso é bom ou ruim? corro o risco de encontrar minha blusa em todos os cantos da cidade?

-- se ela voltar a ligar, devo chamar a polícia? Vendedora com alto potencial para stalker!

-- que tipo de telemarketing é esse? volto a perguntar.

"Linha Direta", Bandido da Luz Vermelha, Crazy e Lost

**Momentos YouTube:

** estou tentando achar a introdução do Linha Direta da semana passada - acho? - porque um amigo não acredita até agora que eles abriram com a música Crazy do Gnarls Barkley. Alguém viu? Era o episódio sobre o Bandido da Luz Vermelha. A abertura era um cut-out: tudo em p&b, e só aparecia o vermelho, óbvio, dãr. Crazy rolando solto, e com legenda: "talvez eu seja loooouco". Demais. Para completar, ainda fecharam com "Rubro Zorro" do Ira!, música que marcou uma fase bem legal da minha adolescência. Bem doido ouvir aquele disco com os óculos "psico-acústicos". Se alguém achar, me avise!

** momento sensacional, que deu lá no Stereogum e que não dá para não linkar. LOST em animação com trilha do Weird Al (aquela polka bem pentelha, que começa com Beck, El Perdedor):



** No mesmo YouTube, já tem teaser da nova temporada do LOST (hummm...sabia que aquela menina lá não morreu? e que ela é, na verdade, do bando dos Outros?). =)

** E o Rei... aquele mesmo que apareceu aqui trajando casaco de pele e cantando "me aqueça nesse inverno" com neve de estúdio, apareceu de chapinha definitiva e cantando "funk romântico e manêro" na Globo. Juro que dá para ouvir uma risada de Hebe no vídeo, mas não sei ao certo se era ela. Especulações.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2006

Rostinho Bonito

Não se assustem, mas o Sampaist está de cara nova.

Aquela coisa, néam, ano novo...

O Cubo de Rubik "wiz my toezz"

O site de babados em geral PapelPop (mais uma dica da Flávia Durante, ex-Philipinas e ainda com o link velho na minha página) conseguiu me fazer perder o dia.

Eu havia dito que nunca consegui resolver a droga do Cubo de Rubik. Um trauma grande de infância. Pois o PapelPop linkou esse vídeo do diretor Michel Gondry resolvendo o brinquedo do mal com... os pés!



ps: adoooro o sotaque. Segundona me sentindo uma mula.
UPDATE 19.12.06: a Modern Age (blogueira que era indie e que agora virou emo) disse que na verdade, esse vídeo está de trás pra frente. Dãr. Dãr. Está mesmo?

El Perro Del Mar

E eu consegui perder a única atração sueca que realmente me interessava:



... Imperdoável.

Harpa, Bossa-Nova, João Gilberto e a Máfia.

** Já falei da Joanna Newsom, aquela que toca harpa, tem voz de uma Bjork adolescente, é hipponga doidinha de pedra, e que mesmo assim consegue fazer músicas fofas (apesar de eu ainda não conseguir ouvir um disco inteiro) que dão sono mas que não te deixam dormir. Bem, ela é muito mais que isso, claro, está causando e merece crédito. Mas tocar som deprê regado a harpa na pista é querer empurrar as pessoas pro bar. Ou fermentar aquela disputa boba de indie "eu tive 'as manha' de tocar Joanna na pista". Preguiça enorme.

** Mais preguiça ainda de aturar norueguês metido a João Gilberto que exige bossa-nova na pista. Tudo bem que Kings of Convenience tem a sua graça, mas eu acho que na verdade, Simon & Garfunkel já fizeram - e bem - a sua contribuição à humanidade. Se a dupla é legal mas cansa um pouco, o que foi o cara sozinho com violão no peito pedindo para as pessoas praticamente ficarem sem respirar durante a apresentação? A voz dele é linda, ele é um gringo até que simpático, as músicas são boas e a discotecagem dele pós-show não foi das piores, mas... bem, zzzzz. Psiiiu e shiiiu não são coisas para se ouvir a cada 5 segundos em uma sexta-feira à noite. Aprenda a cantar mais alto ou, na próxima vez, vá tocar em um mosteiro! E não se esqueça de chamar o Maneco do Leblon Projac para a trilha sonora. Porque deu um pouco de vergonha alheia de ver o "pessoal muderno" se esforçando ao máximo para fingir que um dia achou lindo dançar bossa-tema-de-novela das oito como se fosse a música da vez.

** Às vezes quase sempre, eu me rendo a um filme pirata. Porque eles caem na minha mão, simplesmente. E essa semana alguém aí apareceu com o "Infiltrados", novo filme do Scorsese. Acho filme de máfia um saco, entra naquela categoria "não vejo nem que me paguem". Conseguiram me convencer e, clichês à parte, o filme é bom mesmo. E olha que eu odeio a cara de Bebê-Johnson do Di Caprio. E mais ainda o porte de jogador de futebol americano anão do Matt Damon. Odeio cenas de acerto de contas e cenas de troca de mercadoria com gangues rivais em carros pretos se encontrando em galpões abandonados. Sempre a mesma ladainha. Mas a minha diversão foi outra. O sotaque irlandês-americanizado dos atores somado a gírias absurdas com uma legenda bem das mal feitas em português de Portugal com trechos em Portunhol. Frases como "tens seu período?", "estou a usar o telefone móvel", "aquela cajo de uma égua", "seu cocô de cavalo!" saindo da boca do Jack Nicholson é no mínimo divertido.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

Rolling Stone - Poeeeeira!



Ok, OK. Tudo bem que a capa é com a Ivete Sangalo Levanta Poeira.

E que na chamada principal tem James Brown...

Ainda não fazemos parte do texto gritando "Jovens Bilionários", mas se você for até a página 38 vai encontrar um artigo com o óótimo título: "BLOG PARTY". Bem, estamos lá. Woohoo.

Sampaist na Rolling Stone de Dezembro!!!.

Orgulho mais uma vez de ter me atirado feito louca stalker psicopata no caminho do Justus. Às vezes, cara de pau é essencial e dá certo.

Tipo frase "Dica do Dia": "se joga e faça a Glen Close - é melhor um Justus ter medo de você do que ele nem saber que você existe"
P.S.: a reportagem sobre o novo filme do Zé do Caixão vale a revista.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

O Erudito...

Eu adoro as charges do Savage Chickens. Essa aqui vai bem com a minha persistência em (tentar) entender a música clássica.

Desculpa aê, Cauby!



(foto de Bruno Barriguelli)

Deu na Gazeta do Frango, do amigo Guilhermoso, e reproduzo aqui:

Como é de conhecimento geral, todas as segundas-feiras podemos assistir, no Bar Brahma, um dos nossos maiores ícones musicais, Cauby, o Peixoto, pela quantia de 35 cruzeiros reais.

Em nossa cidade também está em cartaz uma peça teatral intitulada: "Cauby ! Cauby !", onde o magistral ator Diogo, o Vilela, representa as aventuras do cantor supracitado. No entanto, o ingresso para estas apresentações se situa na faixa de 70 reais de pataca.

Isto significa que, em nosso país, assistir a cópia custa o dobro do que o original.

Sensacional constatação.

Fiquei até com uma pontinha de remorso. Há alguns anos, o Cauby me ligou ( !!! ) querendo aulas de inglês. O pai de uma amiga (aê Eli!) que o conhecia havia me indicado. OK. Apesar de saber desse link que me unia ao Sr Peixoto, nada te prepara para uma ligação dessas. Muito menos quando ele fala que as aulas seriam apenas de pronúncia e que eu precisaria acompanha-lo às gravações de um "tributo ao Sinatra". Muito menos ainda quando ele fala que só acorda às 16h e que as aulas poderiam ser em minha casa ou no Hotel do Centrão onde ele mora(va).

Ele perguntou quanto eu cobraria por hora. Mesmo sabendo que esse tipo de coisa não tem preço, eu disse. Ele respondeu: "veja bem, querida, eu vou falar seu nome nos programas de TV". Mas um merchan no meio da tarde de um sábado no programa do Raul Gil não era exatamente o que eu precisava na época...

E foi assim que meus vizinhos perderam a chance única de ouvir "Myyyyyyyy Waaaaaay!" ecoando pelo prédio.

Desculpa aí, Cauby!

terça-feira, 12 de dezembro de 2006

Hebe Gracinha & Doidinha

Eu não consegui parar de ver o programa da HEBE hoje. Foi um festival de momentos YouTube, que por um momento achei que fosse uma coletânea do site.

** Tudo começou com uma Hebe emocionada defendendo a mulher que roubou uma manteiga no super e foi presa. Daí, para quebrar o climão, ela se levanta do sofá animadíssima e aos berros: "Gentiiii! Mas nós temos uma boa notícia hoje!!!!". Câmera na cara de interrogação do povo. Berrando mais alto ainda: "O PINOCHET MORREU! PALMAS! MAIS PALMAS! O PINOCHET MORREU!". E o povo aplaudia ensandecido, estilo vitória do Brasil na Copa. Começou bem. E quando o Maluf morrer, hein?

** Daí, entra o Carlos Nascimento e a Hebe começa a se jogar pra cima dele, dando em cima na cara dura. Diz inclusive, que para comer chocolate Cacau Show, é só pensar nele e "hummm....saborear à vontade...". Corta para um Nascimento roxo de vergonha.

** Entra Suzana Werner, aquela que chifrou o Ronaldinho com o Bial (haha adoro lendas urbanas). A Hebe, na maior cara dura, pergunta: "E aí, Suzana, você virou 'doninha de casa' agora? O que você faz lá na Itália?". Constrangimento geral. Ela responde: "Bem, eu faço aulas de culinária em casa. Já que eu resolvi assumir de vez essa posição de mãe-dona-de-casa, vou fazer direito".

** Entra uma mulher de plástico. Fiquei sabendo que ela se chama Janaína e foi ou é casada com o mala mór, Otávio Mesquita. Ela entra rebolando, com uma escola de samba atrás. Só que ela não sabe sambar, e fica rebolando estilo dançarina do ventre. O cara do samba-enredo desafina horrores e a Hebe pede para encerrar para fazer um merchan da Casas Bahia. Eles não voltam nunca mais.

** Entra o careca da natação, o Xuxa, e a Hebe pede perdão pelo trocadilho, e manda "um beijo enorme para a Xuxa Graciiiinha".

** Entra a mãe que supostamente havia "morto" a filha com cocaína. Isso, a Hebe fala "havia morto a filha". Fica nervosa, diz que está muito emocionada, e pede ao Nascimento que a entreviste. Ele parece desconfiado, e pressiona a advogada de defesa. Suzana Werner chora.

** Hebe resolve perguntar sobre a carreira dos entrevistados. Suzana ex-atriz, agora dona-de-casa, vai virar cantora já em 2007. Disco em fase de mixagem. Janaína, a mulher de plástico e seios exuberantes que é Rainha da Bateria mas não sabe dançar, diz que em 2007 vai se dedicar ao cinema. Tem um longa na bagagem, e ensaia 2 peças de teatro. Xuxa, o nadador pegador geral, está aprendendo a dançar. 'Tá' tudo errado.

** Gracinha. Humor não intencional dá medo às vezes.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

Os melhores de 2006...

Odeio listas de finais de ano. Melhores cds, melhores shows, piores micos, etc., cansa e parece que ninguém consegue ficar sem elas. Eu tenho preguiça de ler, sempre pulo e não dou a menor bola.

Mas através de um link, caí na Lista 10+ do site todo-moderno da Globo, o G1.

Eu comecei pelo Zeca Camargo, que de cara já cutuca a MTV defendendo o YouTube. Gostei.

E daí cheguei na Lígia Nogueira, que eu não conheço mas gostaria de. Em que lugar você vai ler nos "melhores de 2006" - em uma mesma lista ! - os seguintes nomes: Maquinado, Coquetel Molotov e Banksy?

Não existe isso, mas ela entra na minha lista de Melhor Lista de "Melhores de 2006".

Para ler as outras:

*Álvaro Pereira Júnior
*Diego Assis
*Shin Suzuki
*Daniel Tambarotti

Nada de Dress It Up ou Trash It Up

Deu no Londonist, irmão londrino do Sampaist, que hoje acontece a última noite TRASH no clube The End...

A noite de rock que nenhum clube paulistano conseguiu imitar. Ainda. Foi lá que ouvi pela primeira vez uma música "desconstruída": ainda não tinha a menor idéia do que seria um mash-up, só sabia que não dava para saber onde uma música terminava e a outra começava. Eu me lembro direitinho qual era: a batida era de "Broken Face" do Pixies com a voz de "Black Math" do White Stripes. As duas são bem pesadas e não costumam tocar na pista, mas mesmo assim as pessoas pulavam e gritavam. Com muita classe.

O nome desse blog, que hoje soa cafona e fora de lugar, saiu do dress-code dessa festa, que exigia que as pessoas se vestissem (er, 'se montassem') de maneira "largada", e não "enfeitadas" ou bem arrumadas. Nos flyers, vinha assim: "Dress-code: Trash It Up".

Trash It Up também significa detonar algo ou alguém. Criticar, avacalhar, etc.

O nome era sonoro, engraçado, e até tinha a ver com o que a gente queria fazer na época do blog véio: cutucar. Mas acabou ficando.

O DJ da Trash, Erol Alkan, está no MySpace: aqui.

Festa Sampaist - sucesso!

Já está tudo lá no Sampaist:

* Clique para ler sobre a festa e ver todas as fotos em slide.

* Já de manhã, Ticos do Sampaist invadiram a Bella Paulista para o famoso Croissant Na Chapa. Dessa vez, sem revelação de amigo secreto de firma e sem casais sadomasoquistas.

sexta-feira, 8 de dezembro de 2006

Festa do Sampaist



Esse foi o primeiro conceito da camiseta Sampaist.
Algumas pequenas mudanças depois, ela ficou ainda mais bonita. Discreta, barata, moderna, e todo mundo tem que ter. =)

A festa é hoje!

* A balada começa cedo, às 22:30, com discotecagem do Marcelo Costa (Scream & Yell).

* A banda Imperdíveis entra em seguida e promete "roquenrou em estéreo para dançar"

* Após o show: o Onipresente DJ Tatá Aeroplano (Jumbo Elektro).

* E Carlos Freitas (ImPop) segura a pista até enjoar dos seus mashups, ou até o povo cansar de dançar.

* Durante a festa, os meninos da OBRA exibem camisetas Sampaist e outras. Levem $$$.

Até mais então.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

Chapinha: no banheiro mais perto de você

Em um post anterior sobre cabelos que usam anti-palha e cabelos que usam chapinha, recebi um comentário anônimo (além de pitacos suecos) com um link.

O link dava para um site que exibia orgulhosamente a mais nova invenção britânica: a "Chapinha em Banheiro Público":


(clique na foto para uma versão maior)

Claro, estamos falando de um clube estilo Vegas e Glória, e não da Funhouse.

Segundo o site, por U$1,85 dólares você pode usar a chapa-quente (eles chamam de Hot Iron) por 90 minutos.

O site ainda avisa: "cansou de sair com o cabelo da Cher e voltar parecendo a Macy Gray?". hahahahaha.

Já vi de tudo: banheiro com perfume, com fio dental, absorvente, o.b., camisinha, listerine, e até maquiagem. Com a chapinha de emergência, há o risco dos caras nem reconhecerem mais a namorada quando ela sair daquela mijadinha básica no banheiro.

terça-feira, 5 de dezembro de 2006

Céu da Boca



Esse livro aí reúne experiências de pessoas provando pratos que marcaram a infância... olha só:

Nesta obra, 18 pessoas de diferentes áreas profissionais escrevem sobre a lembrança que lhes ocorreu quando convidados a rememorar refeições e sabores da infância e adolescência. Textos de puro prazer que remetem o leitor de volta às suas próprias raízes e vivências, num exercício sensorial de memória.

"Exercício Sensorial de Memória". Adorei a idéia, porque certos sabores trazem tanta coisa de volta!
Talvez seja por isso que toda vez que voltamos para casa, minha mãe pergunta de cara: "vocês vão querer comer o quê?". E - sempre - nossos pedidos acabam sendo os mesmos.

Não basta voltar para casa: a gente tem que se sentir em casa. Ter aquele cheiro de volta.

E esses são os pratos que levo comigo e que têm o gosto da minha infância:

** Lombo com Abacaxi
** Arroz com Suan
** Vaca Atolada
** Quibebe com picadinho de carne
** Encapotado
** Bolinho de Chuva

obs: a lembrança gastronômica mais antiga que eu tenho é a do "Arroz Com Tranqueira" da minha avó, mas ela não libera a receita.

domingo, 3 de dezembro de 2006

BRAVO II !



* Precisa dizer alguma coisa?

* Mas precisa ver (reparem na decoração natalina bem apropriada):



* Revista boa de comprar. Post anterior sobre a Bravo.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2006

Tá no sangue

Meu pai, todo mundo sabe, sempre foi uma pessoa ligada à música. Do jeito dele: em casa, às 7 horas da manhã você tem a sensação de ter acordado dentro de um baile.

Ele tem vinis absurdos, e que hoje moram aqui comigo, como os do David Bowie, e da Suzi Qautro ( !!! ), por exemplo.

Daí ele teve a fase country, depois a de blues (também herdei esses), e agora se fixou na grandes orquestras de jazz. As "big bands", como ele diz.

Não bastasse ele ser o tesoureiro da Igreja, ele agora virou o Presidente do Clube. O Clube está falido, mas ele não desiste nunca.

E esse é meu pai fazendo tudo pela cena.

* orgulho!

O Cubo de Rubik

ATENÇÃO ----> o post anterior foi uma analogia.

Mas como a internet é uma maravilha, ao escrever o post quis lembrar o nome do cubo. E de um link a outro cheguei nisso. O YouTube acaba de me tirar um trauma de infância.

Veja um Cubo de Rubik "se" resolvendo sozinho:



eu sou bem mais complicada.

Decifra-me

sabe aquele cubo colorido que os pais davam para gente brincar nos anos 80? Aquele que te fazia ficar horas quieto, pensativo, se achando burro, complicado? Eu nunca consegui resolver aquilo.

daí chega alguém e pá-puf. Desmembra tudo.

...os detalhes. O valor das pequenas coisas.

sem querer fazer a LEGO, mas sabe aquele dia em que todas as peças se encaixam?

então. registrado.